13 de jan de 2011

ROLLING STONE E + ANALISAM NOVA MÚSICA


Neste post sobre reviews, reunimos o que os principais sites e revistas falaram sobre o novo single de Britney Spears, "Hold It Against Me".

Confira:
ROLLING STONE
O novo single de Britney, sua primeira faixa que surgiu de seu sétimo álbum, caiu na rede hoje, e nela ela soa mais forte do que em vários exemplos do passado. Hold It Against Me é Britney em seu melhor, cheia de truques eletrônicos, com um breakdown esquisito no meio onde Britney geme, manda beijos, e faz bolas de chiclete por cima dos sintetizadores de Dr. Luke. A letra está no território de Austin Powers/Benny Hill: “If I said I want your body now / Would you hold it against me?”
E vem bem na carona do single S&M de Rihanna, que revive a também clássica expressão, “Paus e pedras podem quebrar meus ossos, mas chicotes e correntes me excitam”. A esta altura é só questão de tempo até Lady Gaga voltar com seu single, “Você tem algo de italiano em você? (Quer um pouco?)”.
Musicalmente, Hold It Against Me soa muito parecido com o que Britney estava criando em 2007 no seu CD Blackout, que por sinal o álbum pop mais influente dos últimos cinco anos. Mas se todo mundo no mundo da música está copiando Blackout atualmente, por que Britney não poderia? Quando ela entrou em seu período mais dark na vida pessoal, quando boa parte do mundo a estava descartando como uma piada, ela lançou sua música mais inovadora, se arriscando com propulsão disco-robótica e atmosferas sintetizadas. É engraçado como as pessoas não levam em conta o impacto de Britney na forma como a música soa hoje, só porque sua personalidade entra no meio, mas se você ouvir uma hora de rádio pop hoje, você ouvirá uma hora de pessoas tentando superar Blackout. Foi sua versão Cheetos-e-Red-Bull de Kid A.
Hold It Against Me tem um som exageradamente de balada, onde Britney percorre a pista procurando um rapaz que vai satisfazer seus desejos e assinar seu contrato de confidencialidade. “Would you hold it against me?” — quantas vezes ela usou essa cantada com policiais? Não é difícil ouvir um ar de desespero no vocal superproduzido de Britney, especialmente quando ela tem dificuldade para atingir o verso, “You feel like paradise and I need a vacation tonight.” Enquanto isso, os sintetizadores europeus de Dr. Luke produzem uma linha melódica que soa idêntica ao clássico Dirty Deeds Done Dirt Cheap do grupo AC/DC (especialmente de 1:02 a 1:08) — o que é o tipo de piadinha que ele faria. Talvez no álbum ela se arrisque e regrave Dirty Deeds, ou talvez Problem Child? Big Balls? Touch Too Much? Vá com tudo, Britney!
Os carros-chefe de Britney são praticamente um gênero em si, é claro. Britney geralmente prefere guardar o material mais pop e começar com algo temático, como I’m a Slave 4 U, Womanizer, ou 3. No Blackout, ela colocou Gimme More como primeiro single no lugar da superior Piece of Me, e no primeiro single do In The Zone foi a genérica Me Against The Music em vez da enlouquecedora Toxic. Hold It Against Me é muito melhor que Gimme More, não é tão bom como 3, mais ou menos quites com Womanizer. E definitivamente nos faz esperar muito do álbum — além do fator de surpresa que Britney já causou em fazer um sétimo álbum. Cheetos por todo lado!
Nota: 4 estrelas.
NEW YORK POST
Tenho me sentido tonto, com um zumbido no ouvido. Mas não é gripe — é o primeiro estágio da febre Britney, resultado do contato com seu contagiante novo single, Hold It Against Me. É o primeiro lançamento de seu ainda sem título novo álbum que sairá em março (seu primeiro CD de estúdio em dois anos).
A música começa com batidas puramente dance, logo acompanhadas por vocais robóticos de Britney emaranhadas numa sinfonia de vozes auto-tunadas, e cobertas por um mar de bipes e sintetizadores electropop. Quando você se prepara para rotular esta música como “pop robótico, sem vida e exageradamente produzida”, Britney para de acompanhar a batida e, no bridge acústico, realmente canta. A letra começa com um verso inspirado em Groucho Marx — “If I said I want your body right now, would you hold it against me?” — sem o charuto e as sobrancelhas grossas.
Nota: 3 estrelas.


EXAMINER

Britney Spears acaba de iniciar 2011 com um hit dance monstruoso. A música fará você dançar do começo ao fim. A letra, a batida forte e o bridge deixam a música em chamas. Este é um verdadeiro hit de Britney. Hold It Against Me está destinado a estrear no topo das paradas da Billboard. A música, produzida por Dr. Luke e Max Martin, é a perfeição pop até o fim. Mal posso esperar pelo videoclipe.

BILLBOARD

BRITNEY SPEARS
Hold It Against Me (3:49)
Produtor: Lukasz “Dr. Luke” Gottwald
Compositores: Max Martin, Lukasz Gottwald, Bonnie McKee, Mathieu Jomphe
Jive Records

Hold It Against Me, o tão aguardado novo single de Britney Spears, inevitavelmente caiu na rede um dia antes de sua estreia, com Spears escrevendo no Twitter: “Não me culpem por ter saído antes.” É fácil ver o porquê a estrela pop não quis esperar: com sua linha de baixo energética e kick pulsante, essa produção de Max Martin e Dr. Luke tem pressa de chegar a seu objetivo. O equilíbrio da faixa entre as estrofes de pista e o refrão pop (que melodicamente lembram as estrofes de Thank You, música da Dido usada no Stan de Eminem) lembra mais os hits recentes dos Black Eyed Peas do que qualquer exemplar do catálogo formidável de singles de Britney. Enquanto versos como “If I want your body now/Would you hold it against me?” não ganham pontos por originalidade, Hold It Against Me é vitoriosa e um teaser provocante do álbum ainda sem título de Spears que está por vir.



ARTIST DIRECT

Com seu novo single, Hold It Against Me, Britney esquenta a pista como nunca.
De fato, Hold It Against Me é uma das canções club mais contagiantes de Britney. Ela sedutivamente percorre as estrofes sobre uma brilhante batida que passa de futurista a rítmica. O pré-refrão do single atinge alturas de puro êxtase pop enquanto sintetizadores fazem a voz de Britney brilhar. A estrela máxima do pop aceita suas influências dance mais do que nunca, cantando com perfeição um refrão angelical por cima de um fundo com produção potente de Max Martin e Dr. Luke. A música assume seu lugar triunfante ao lado de clássicos de Britney como Womanizer, Gimme More, e Toxic, mas há uma elegância etérea na música que mostra que Britney está pisando em novo território e mais uma vez ampliando os limites do pop dance.
Ela atinge novos níveis de sex appeal sussurrando, “If I said I want your body, would you hold it against me?” no meio da música. É a canção pop mais quente do ano, e mostra uma nova era de uma de suas mais brilhantes estrelas. Use essa faixa se quiser ter uma noite fantástica…
Disponível no iTunes e estações de rádio desde terça-feira, a canção perfeitamente nos mostra o que virá no sétimo álbum de estúdio de Britney, com lançamento em março. Hold It Against Me não podia ter vindo em melhor hora, e vai estar na cabeça de todos em apenas um dia.
Bem-vinda de volta, Britney…

Nota: 4.5 estrelas.

Fonte: X-Britney.

Nenhum comentário:

Postar um comentário